sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Grande prova de Porto Vintage 2007


Foi no Palácio da Bolsa, no Porto, que foi realizada a declaração oficial de vintage 2007, pela Confraria do Vinho do Porto.
Depois da cerimónia, foi aberta ao público uma grande prova no Pátio das Nações, onde estiveram mais de 30 produtores com os seus vintages 2007.
A entrada para o público custava cinco euros, com direito a um copo oficial de vinho do Porto, e um livro de notas com duas páginas para cada produtor e com o nome dos respectivos vinhos apresentados.
Não consegui provar todos, mas foi uma oportunidade de apreciar diferentes estilos de vintage, pois havia vinho para todos os gostos.
Seguem algumas apreciações, numa escala de 0 a 20.

Adriano Ramos Pinto:
  • 17,0 - Porto Vintage, com um belo nariz, muita estrutura a indicar que será um vinho para aguentar muitas décadas na cave.
  • 16,5 - Qta . de Ervamoira Porto Vintage - nariz mais suave, e boca mais redonda.

Para a Quinta do Noval, foram declarados três vintages 2007, todos excelentes. Em 2007 não foi declarado vintage para a vinha Nacional.
  • 17,5 - Quinta da Romaneira, é talvez o que está mais apetecível como novo, mais suave.
  • 18,0 - Noval Silval, tem um nariz muito intenso e complexo, este cheirava-me a castanhas, entre outras coisas. Na boca é muito redondo, mas com estrutura.
  • 18,5 - O Noval é mais austero, mais fechado, mais denso.
Quinta Nova de Nossa Sra. do Carmo, gostei muito do nariz, na boca tambem está muito bom, mas ainda pode afinar mais um pouco: 16,5.

Quevedo Porto Vintage, um nariz muito intenso, com aromas herbáceos, na boca é muito redondo. Foi a melhor surpresa da prova, e a um preço um pouco mais acessivel que a maioria: 17,0.

Quinta de Vale Meão Porto Vintage, talvez ao estilo da Noval, mas não ao mesmo nivel: 16,0.

Niepoort Porto Vintage, muito equilibrio, nariz complexo com notas de chocolate, de fruta madura, especiarias. Na boca é potente de forma bem controlada: 17,5.

Taylor's, nariz frutado sem excesso, potente na boca com bons taninos muito bem equilibrados: 17,5.

Quinta do Portal, é bom, mas há melhor: 16,5.

Sogevinus:
  • 17,0 - Kopke, num estilo mais austero, sem ser exuberante mas com tudo no sitio.
  • 16,0 - Burmester, é bom mas não me entusiasmou por aí além.
  • 15,5 - Barros.
  • 15,0 - Cálem.

Ferreira Porto Vintage, bom nariz, achei-o demasiado alcoólico na boca para o meu gosto: 16,0.

Dow's Porto Vintage, austero, com um belo nariz, e uma boca muito correcta, é um vinho ao meu gosto: 17,0.

Vesúvio Porto Vintage, muito frutado, mas sem exageros, na boca é um néctar: 18,0.
Já não havia o Capela do Vesúvio quando lá cheguei.

Vista Alegre Porto Vintage, também me agradou bastante: 16,5.

Quinta do Tedo, está muito bom, e promete ser um vinho para guardar por várias décadas, pois para além de um nariz complexo ainda algo fechado, tem boa estrutura: 17,0.
Savedra: 16,5.

Os vintages de 2007 estão tão bons que acabei por beber um pouco mais do que devia, e no dia seguinte acordei um bocado enjoado de tanto porto. Mas nada que não se curasse com um bom almoço.
Fica um agradecimento especial para o meu amigo Rui, que insistiu em vir a conduzir para Aveiro no fim da noite, apesar de ainda estar a recuperar de um braço partido. É bom ter amigos assim.

Frederico Santos