quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Athayde Grande Escolha 2007


Viva,

Quero dar relevo a um tinto alentejano que provei no início deste ano, de um produtor que desconhecia (coisa fácil nos dias que correm), Monte da Raposinha, e de um enólogo também para mim desconhecido, Carlos Magalhães.
O vinho vem de Portalegre, no norte do Alentejo, uma zona tipicamente mais fresca e temperada do que o restante Alentejo, sendo este um aspecto que deixa marcas evidentes no perfil do vinho.

Não é de facto um Alentejo tinto típico, é um vinho com muito boa acidez, elegante, com bom equilíbrio (embora um dos "provadores" tenha teimado na madeira nova em excesso, coisa que não me pareceu de todo) e acima de tudo com um perfil aromático e prova de boca mais novo mundo do que Alentejo.

Como nota resumida de prova:
  • Feito com as castas Touriga Nacional (não dei por ela, deve ser em quantidades pequenas), Syrah, Alicante Bouschet e Aragonês
  • Frutos vermelhos casados com alguma menta e baunilha num aroma muito sedutor e expressivo, sendo este um dos pontos bem agradáveis neste vinho
  • Na boca domina a fruta (excepto para o cromo obcecado com a madeira) e no final o cacau, neste aspecto um pouco colado de mais ao gosto universal :-)
Este vinho é menino para os seus 20€, merece uma prova e como remate final direi que é um bom vinho, que enriquece e complementa a oferta da região.

Boas provas,

MRC

2 comentários:

NFGR disse...

Um excelente vinho deste novo produtor de Montargil, concelho de Ponte de Sôr, no Alto Alentejo.
Aconselho igualmente deste produtor, um tinto extraordinário "Furtiva Lagrima".

Bons copos.

Mário Rui disse...

Obrigado pelo comentário e sugestão, vou com certeza experimentar essa "Furtiva Lágrima" (nome interessante) e partilhar no blogue a minha experiência.

Melhores copos, :-)